O encontro musical de Vila de Santo André com Trancoso

 

Jovens da Camerata Jovem de Trancoso.jpg

 

O IASA que tem cruzado os caminhos de tantas crianças e jovens da Orla Norte de Cabrália, deu um passo ainda maior. Tomou impulso, atravessou o rio João de Tiba, chegou a Trancoso, em Porto Seguro, onde a convite do Neojiba, participa de diversos encontros e ações. E foi neste intercambio, ampliando conhecimentos, que João Antônio, o menino que aos 8 anos aprendia flauta na ONG de Vila de Santo André, pode ser ouvido como violinista e convidado a integrar a Camerata Jovem de Trancoso, regida pelo maestro Carlos Moreno e, assim, viver um verão diferente, de muito estudo e experiências.

O maestro Carlos Moreno começou a idealizar a Orquestra Camerata Jovem de Trancoso quando passou a vivenciar os acontecimentos artísticos do vilarejo, onde desde 2012 acontece o festival Música em Trancoso, organizado pelo Mozarteum Brasileiro. Em 2017, com a formação da Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, da qual é maestro titular, estreitou ainda mais os seus laços com a localidade. Além da intensa participação no festival, passou a realizar atividades pedagógicas constantes, vinculadas ao Instituto Trancoso e ao Neojiba (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia). O intercâmbio com estas duas instituições, que desenvolvem trabalhos de formação na região, revelou os talentos da cidade para o maestro.

joao 1

“Ao perceber o quanto poderia realizar ao aproximar estes talentos das atividades desenvolvidas pelo Mozarteum Brasileiro em Trancoso, criei durante o ano de 2017 três oficinas intensivas de práticas de orquestra”, afirma Moreno. “Deste trabalho surgiram os músicos para a minha tão sonhada orquestra sazonal”, comenta o maestro. Com tempo pode desenvolver e captar apoios de 16 padrinhos que adotaram cada um dos 16 integrantes desta Camerata e também viabilizaram as participações do regente nas oficinas.

Neste início de 2018, o curso intensivo de férias que deu origem à Camerata, começou dia 13 de janeiro e se estendeu até 14 de fevereiro.  Além das aulas diárias com o maestro, cada um dos 16 integrantes da Camerata recebeu uma bolsa de estudos no valor de R$ 1,5 mil fornecida por seus “padrinhos”. Os instrumentos dos jovens músicos, com média etária de 17 anos, ainda ganharam melhorias como encordoamentos de alta qualidade e restauros de arcos. Para completar, os músicos também estão sendo orientados, durante dez dias, por dois professores de São Paulo – a violinista Constança Almeida Prado e o contrabaixista Júlio da Silva.

João Antônio com suporte da família e de um gripo de Santo André, mudou-se para Trancoso a fim de vivenciar esta oportunidade. Conheceu mais a fundo o repertorio p repertorio que deu destaque aos compositores brasileiros como Heitor Villa-Lobos, Claudio Santoro, Baden Powell, Guerra Peixe, Ernani Aguiar, Antônio José Madureira e Adail Fernandes e foram ouvidos nos ensaios que ecoavam no Quadrado. Aconteceram apresentações pontuais, com a estreia dia 24 de janeiro na Igreja de São João Batista, no Quadrado, e na sequencia dia 25/1, 20h, no Shopping Canto Verde; 27/1, 17h, na Pousada Estrela D’Água; 31/1, 20h30 no Espaço O Cacau (20h30); 01/2, 20hs na Igrejinha do Quadrado e 4/2, 20hs na Casa Amarela do Quadrado. O maestro Moreno confessa estar apaixonado por este trabalho “pois os jovens músicos são cativantes”.

O grande momento deste processo foi a abertura do 7º festival Música em Trancoso, dia 3 de março, quando os músicos da Camerata se juntaram aos quase 100 integrantes da Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, para tocar a Sétima Sinfonia de Beethoven diante de um público vindo de diferentes partes do Brasil e do mundo. Para João Antônio e o IASA o mundo está bem maior do que a pequena Vila de Santo André com pouco mais de 800 habitantes.

fShare
2
Pin It