Gandhi A Etica Inspiradora corte

 dsc01704

 

GANDHI, UM LIDER SERVIDOR E A ÉTICA INSPIRADORA

Conhecido em novelas e minisséries globais interpretando vilões, no palco há mais de uma década interpretando o líder indiano Mahatma Gandhi que o ator comenta bem-humorado estar limpado o seu carma. O monólogo “Gandhi, um líder servidor e a ética inspiradora”, aplaudido pelo público e pela crítica, encenado em quase todas as capitais brasileiras, revelou ao ator o que há de mais verdadeiro em seu coração: a verdade nas relações. Este monólogo será encenado no Espaço Aldeia Tangerina dia 23 de março, às 20hs, em Vila de Santo André, Santa Cruz Cabrália. Na sequência haverá um jantar indiano no Restaurante Alecrim. O ingresso no valor de R$20,00 será revertido para o Centro Educacional Maria Marta, uma escola infantil que atende crianças da região entre 2 e 5 anos e está completando 20 anos. O jantar opcional – necessário reserva – ainda terá o cardápio e o valor divulgados.

 

O monólogo entrou na vida de Signorelli por acaso. Seria apenas uma apresentação num seminário de liderança para empresas, mas ao ler o texto ele se encantou, superou até a vaidade ao raspar a cabeleira, começando um novo processo de autoconhecimento. Em dois meses de ensaios mergulhou num universo novo e encantador. Tudo o que lia sobre Gandhi mostrava a importância da busca da verdade. Comentou com o terapeuta sobre a frustração em abandonar esse trabalho após apenas uma apresentação e recebeu a sugestão de utilizar um restaurante em Vila Madalena (São Paulo) que ficava fechado aos domingos para continuar a encenação. E foi ali que o monologo ganhou mais força, reconhecimento e partiu para palcos de grandes teatros, convenções de executivos e também para projetos sociais onde a bilheteria é revertida para ações comunitárias.  

 

“No teatro, acreditamos que são os personagens que escolhem os atores – comenta Signorelli. Então, eu fico muito agradecido de ter sido escolhido por Gandhi, no Brasil. A peça só me trouxe presentes e boas surpresas. Conheci o neto do Gandhi, conheci o Dalai Lama (recebi dele o seu Khata, aquele lenço tradicional tibetano). Adotei, diante da vida, uma postura de ação, mas nunca de reação. Sinto estar cumprindo o meu papel de ator e de cidadão levando a diante – seja para grandes empresários, seja para jovens da Fundação Casa – um pouco do que Gandhi ensinou. Vou fazer Gandhi para sempre. E quanto mais velho eu ficar, melhor para o personagem. Eis mais um aprendizado: agradecer sinceramente pelos anos que passam.”

Alguns trabalhos do ator:

TV

Bebê à bordo, Grande sertão: veredas, Aquarela do Brasil, O sorriso do lagarto, Senhora do Destino, América, Carandiru: outras histórias;  Amazônia, Caminho das Índias, Salve Jorge

TEATRO

O Homem de la Mancha, A Promessa, Pano de Boca, As Mil e Uma Noites, Diário de um Mago, Um Bonde Chamado Desejo

CINEMA

Vai Trabalhar Vagabundo II, Lili Carabina, Stelinha, Boca de Ouro, Garrincha, Bruna Surfistinha